Bill Clinton falará a convidados do Uninorte/ Laureate

Bill Clinton, 42º Presidente dos EUA e criador da William J. Clinton Foundation, falará sobre Educação para 400 convidados, dia 26/03, no Centro Universitário do Norte (UniNorte), a partir das 18h. Clinton é Chanceler Honorário da Laureate International Universities (LIU), rede internacional com mais de 55 instituições de ensino superior distribuídas pela América do Norte, América Latina, Europa, Norte da África, Ásia e Oriente Médio. O UniNorte integra a rede desde 2008.

Esta é a primeira vez que o Presidente Clinton se apresentará no UniNorte. Ele já visitou outras instituições da Rede Laureate no Brasil, como Anhembi Morumbi, em São Paulo, e a Universidade Potiguar, em Natal. Como Chanceler Honorário, ele também é um conselheiro para esse grupo de universidades em áreas como responsabilidade social, liderança jovem e expansão do acesso ao Ensino Superior. O Presidente Clinton também irá incentivar o engajamento cívico e a liderança jovem em importantes questões sociais para os cerca de 600 mil estudantes da Rede Laureate, presentes em 27 países.

O presidente do UniNorte, Josemir Silva, afirma que a vinda do Presidente Clinton reforça o compromisso da instituição em oferecer a seus alunos um ensino superior com perspectiva multicultural e de permitir a discussão de assuntos de relevância da atualidade com líderes mundiais. “O Presidente Clinton é uma referência mundial principalmente quando se fala em responsabilidade social, meio ambiente e sustentabilidade. Sua vinda não poderia ser mais oportuna e passa a ser um marco para a comunidade acadêmica do UniNorte”, destaca.

Sobre Bill Clinton

William Jefferson Clinton foi eleito presidente dos Estados Unidos em 1992 e, novamente, em 1996, o primeiro presidente democrata reeleito em seis décadas. Sob sua liderança, os Estados Unidos tiveram a mais forte economia em uma geração e a mais longa expansão econômica na história do país, incluindo a criação de mais de 22 milhões de empregos.

Após deixar a Casa Branca, o presidente Clinton fundou a William J. Clinton Foundation, com a missão de fortalecer a capacidade das pessoas dos Estados Unidos e do restante do mundo de superar o desafio para atingir a interdependência global.

Hoje, a WJC Foundation tem funcionários e voluntários em todo o mundo, que trabalham para melhorar vidas por meio de iniciativas diversas. Uma delas é a Clinton Saúde  (ex-Clinton HIV / AIDS), que está ajudando 4 milhões de pessoas portadores de HIV / AIDS a ter acesso a medicamentos que salvam e melhoram a qualidade de vida.

Outras iniciativas incluem a Clinton Climate Initiative, a Clinton Hunter Development Initiative e a Clinton Giustra Sustainable Growth Initiative que estão direcionadas para a propagação de uma abordagem econômica que combata as mudanças climáticas e colabore para o crescimento econômico sustentável na África e na América Latina. Como um dos projetos da WJC Foundation, a Clinton Global Initiative busca unir líderes globais que projetam e implementam soluções inovadoras para algumas das questões mais urgentes do mundo. Nos Estados Unidos, a WJC Foundation está trabalhando para combater o alarmante aumento da obesidade infantil e também tem auxiliado pessoas e famílias a conquistar o sucesso e êxito em suas pequenas empresas.

Em complemento a seu trabalho na Fundação, o Presidente Clinton uniu-se três vezes ao presidente George H. W. Bush: após o tsunami do sul da Ásia em 2004, Furacão Katrina em 2005 e Furacão Ike em 2008, com o intuito de auxiliar a levantar recursos financeiros. Ele também serviu nas Nações Unidas, para recuperação no pós-tsunami.

Com base no seu compromisso com o Haiti quando presidente e através da sua Fundação, o presidente Clinton foi nomeado Enviado Especial da ONU para o Haiti em 2009 para ajudar na reconstrução da cidade e melhorar a vida do povo do Haiti, após a série de furacões que atingiram o país em 2008. Depois do terremoto devastador deste ano, o presidente Clinton dedicou recursos da Clinton Foundation para ajuda imediata e assim como também a longo prazo. A pedido do presidente Obama, se uniu novamente ao presidente George W. Bush para estabelecer a Clinton Bush Haiti Fundo, que apoia organizações que voltem seus esforços para a reconstrução do país a longo prazo. Além disso, o presidente Clinton atua como co-presidente do Haiti de recuperação da Comissão Provisória com o primeiro-ministro Bellerive.

O presidente Clinton nasceu em 19 de agosto de 1946, em Hope, Arkansas. Ele e sua esposa, a Secretária de Estado dos Estados Unidos da América Hillary Rodham Clinton, têm uma filha, Chelsea, e moram em Chappaqua, Nova York.

Com informações da assessoria de imprensa do Uninorte/ Laureate

3 comentários para “Bill Clinton falará a convidados do Uninorte/ Laureate

  1. Um grande acontecimento o Bil aqui em Manaus! Cada vez mais nosso país, nossa Amazônia linda, atrai a atenção do mundo. Precisamos aprender cada vez mais aquilo que o #Obama reafirmou em claro e bom tom: “Não somos mais o país do futuro, somos do presente”. Abraços amigo Marcos Santos e ótima semana pra família CBN Manaus.

  2. AMIGOS DO FACEBOOK ME AJUDEM NESSE MOMENTO DE REVOLTA E DIVULGUEM TAL PROTESTO !!!!!

    envien a todos os seus amigos!!!!!!!!

    Jantar amazônico sem chefes da nossa cidade (sem sustentabilidade)

    Lendo o jornal acrítica domingo fiquei decepcionado com uma certa matéria do caderno vida & estilo,não fiquei decepcionado com o caderno nem com o jornal,pois tal caderno apenas estava divulgando um certo fórum que acontecerá dentro de alguns dias em nossa cidade, o “fórum mundial de sustentabilidade” .Que lindo o nome de tal evento , “fórum mundial de sustentabilidade”, onde está a sustentabilidade,está certo que todo seminário e fórum são feitos para debatermos e trocarmos idéias ou talvez colocarmos o que estamos fazendo perante tal assunto,mas o que fazemos realmente é bem diferente,vejam os palestrantes do evento,vejam se há algum amazonense.Veja se tem algum palestrante do único país realmente alto-sustentável da américa do sul(o Chile),vamos pular esta parte geo-política e entrar na área que realmente me interessa, a gastronomia.Fico muito triste neste momento,com uma certa vontade de largar tudo, o que estudei e tudo o que faço para mudar a cena da gastronomia e do entretenimento de nossa cidade.Caros amigos me digam,precisa trazer a Morena leite pra fazer uma moqueca de pirarucu seco pra ficar ruim igual o jantar da casa cor no ano passado.Será que nós chefes que atuamos na cidade não temos condições de fazer um evento deste porte,nós que conhecemos desde sempre nossa iguarias?Parece que não.Não adiantou nada o chef Babú loureiro (chefão e da viúva) e o chef felipe schaedler(banzeiro e di fiori) terem gastado tempo de estudo,tempo de trabalho,tempo de estágio e milhares de reais em formação,não adianta o rogério ter ido estagiar com o érick jackin,não adianta a helena do village mandar o idelfonso para estagiar no fasano,o francis do Domus elaborar fusões entre a frança e o amazonas,o hiroya unir japão e amazonas todos os anos, o ricardo lorenzi acho que até nos deixou por tanta falta de reconhecimento.Bem só quero deixar meu protesto,enquanto temos que pagar para estar em alguns eventos outros estão vindo para ganhar e fazerem o que não sabem e ainda serem aplaudidos(ohohoohohohoohoh).Vou me desculpando se fui um pouco arrogante,mas tais coisas que acontecem em nosso estado as vezes me tiram a vontade de continuar lutando por um trabalho melhor.”Quero só o que vem lá de fora”(nicolas júnior).

  3. Jantar amazônico sem chefes da nossa cidade (sem sustentabilidade)

    Lendo o jornal A Crítica domingo fiquei decepcionado com uma certa matéria do caderno vida & estilo. Não fiquei decepcionado com o caderno nem com o jornal, pois tal caderno apenas estava divulgando um certo fórum que acontecerá dentro de alguns dias em nossa cidade.
    O “Fórum mundial de sustentabilidade”. Que lindo o nome de tal evento, “Fórum mundial de sustentabilidade”. Onde está a sustentabilidade?
    Está certo que todo seminário e fórum são feitos para debatermos e trocarmos idéias ou talvez colocarmos o que estamos fazendo perante tal assunto, mas o que fazemos realmente é bem diferente.
    Vejam os palestrantes do evento. Vejam se há algum amazonense. Vejam se tem algum palestrante do único país realmente alto-sustentável da América do Sul (o Chile).
    Vamos pular esta parte geo-política e entrar na área que realmente me interessa, a gastronomia.
    Fico muito triste neste momento,com uma certa vontade de largar tudo o que estudei e tudo o que faço para mudar a cena da gastronomia e do entretenimento de nossa cidade.
    Caros amigos me digam: precisa trazer a Morena Leite pra fazer uma moqueca de pirarucu seco, pra ficar ruim igual o jantar da casa cor no ano passado? Será que nós chefes, que atuamos na cidade, não temos condições de fazer um evento deste porte – nós que conhecemos desde sempre nossa iguarias?
    Parece que não. Não adiantou nada o chef Babú loureiro (Chefão e Da Viúva) e o chef Felipe Schaedler (Banzeiro e Di Fiori) terem gastado tempo de estudo, tempo de trabalho, tempo de estágio e milhares de reais em formação. Não adianta o Rogério ter ido estagiar com o Érick Jackin. Não adianta a Helena do Village mandar o Idelfonso para estagiar no Fasano. O Francis do Domus elaborar fusões entre a França e o Amazonas. O Hiroya unir Japão e Amazonas, todos os anos. O Ricardo Lorenzi acho que até nos deixou por tanta falta de reconhecimento.
    Bem só quero deixar meu protesto. Enquanto temos que pagar para estar em alguns eventos outros estão vindo para ganhar e fazerem o que não sabem e ainda serem aplaudidos (ohohoohohohoohoh).
    Vou me desculpando, se fui um pouco arrogante, mas tais coisas que acontecem em nosso Estado às vezes me tiram a vontade de continuar lutando por um trabalho melhor.
    “Quero só o que vem lá de fora”. (Nicolas Júnior).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook