Falta de magistrados causa demora e motiva maioria dos processos contra juízes

O Amazonas aparece em terceiro lugar no número de processos contra magistrados, segundo divulgou sábado (12/11) o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A corregedora-geral de Justiça do Amazonas, desembargadora Socorro Guedes, reuniu a imprensa nesta segunda-feira para afirmar que, dos 59 processos em andamento no Estado, 49 se dão por morosidade da Justiça. “Faltam 28 magistrados, principalmente no interior”, disse ela.

A desembargadora lembrou que a primeira instância da corregedoria do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), após receber denúncia contra magistrados, é abrir “procedimento investigatório”. Só depois é que isso se torna um processo. “O principal motivo de reclamação pelos jurisdicionados é a demora no julgamento, mas isso se dá porque nós temos falta de magistrados, que pretendemos suprir com o próximo concurso”, disse.

Em cinco anos, apenas 10 reclamações contra juízes amazonenses ultrapassaram a fase do “procedimento investigatório” e se tornaram processo. As denúncias de quem se sentir prejudicado pela ação de qualquer magistrado podem ser encaminhadas à corregedoria do TJAM pelo site www.tjam.jus.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook