Alsácia: arquitetura, história gastronomia e os grandes Rieslings

Texto e fotos: Ivanhoé Mendes

A Alsácia é uma  belíssima região francesa que faz fronteira com a Alemanha, tão bela e  cobiçada, (foi invadida e anexada várias vezes

Strasbourg é uma cidade onde dá vontade de ficar ou, no mínimo, voltar

pelos germânicos, que ficaram vários anos nessa região). O resultado disso é uma cultura distinta do restante da França, com seu dialeto próprio e com palavras cheias de consoantes, que nos remetem à língua germânica: Strasbourg; kougelhopf; baeckeoffe; flammekueche; fleischnacka. Calma. Vá acompanhando o texto que lá na frente tem tudo isso traduzido e explicado. Além disso, a arquitetura também lembra o país vizinho.

No entanto, as comparações acabam por aí. Na Alsácia come-se maravilhosamente bem, sem falar nos seus grandes vinhos brancos como o célebre Riesling e a perfumada e aromática Gewürztraminer. Nos dias atuais, também produz um bom Pinot Noir, mas em menor proporção. Seu forte são as cepas brancas.

A capital, Strasbourg, é linda, encravada no chamado Baixo Reno e cortada pelo rio L’Ile, repleta  de prédios históricos e marcas de guerras que remetem aos séculos XVIII, XIX e XX, é hoje patrimônio da humanidade, tombada pela Unesco.

A arquitetura e a paisagem, lembranças de três séculos atrás, são uma marca da Alsácia

Nas cercanias de Strasbourg pode-se contemplar as marcas do belicismo: da I Grande Guerra ficaram as trincheiras e casamatas; da II Guerra, um memorial onde funcionou o famigerado campo de concentração nazista chamado Schirmeck-Vorbrück.

Os arredores da capital alsaciana mostram lembranças das grandes guerras mundiais

Hoje é uma das regiões mais visitadas da França por esse conjunto de fatores, por sua excelente gastronomia e por seus elaborados vinhos. Destaque para os Rieslings Grands Crus, que acompanham desde carnes, como o onipresente baeckeoffe (assado de 3 carnes: porco; cordeiro e boi, no molho de Riesling e especiarias) e pratos regionais como a chucrute com salsichões, (sim esse prato não é alemão, mas sim alsaciano), ao delicioso  flammerkueche , que é uma massa fina e levemente crocante (tarte flambée), que pode levar coberturas de várias coisas, mas a excepcional é uma feita com magret de canard fatiado e foie gras.

O delicioso flammerkueche, com a massa fina e um magret de canard fatiado e foie gras

Depois  peça um Gewürztraminer Vendange Tardive, que são os vinhos Colheita Tardia na França, doces, suculentos e equilibrados. Por fim, para fazer a digestão, vá caminhar pela Petit France, ou contemplar os belos cisnes brancos e os coloridos patos que nadam despreocupados pelo rio ou pela barragem.

A paisagem fala por si nessa região

Os patos coloridos constituem atração à parte

 

Sonteiht! (Saúde?, no dialeto alsaciano, claro).

Um comentário para “Alsácia: arquitetura, história gastronomia e os grandes Rieslings

  1. Gostaria de saber se existe feira anual de vinhos nesta região

    RESPOSTA
    Confira o calendário de eventos da região neste site:

    http://apps.tourisme-alsace.info/batchs/LIENS_PERMANENTS/2001655000001_calendrier-annuel.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *