Nasce sétimo filhote de peixe-boi no CPPMA de Balbina

A mãe do filhote chama-se Iara e tem sete anos

O Centro de Preservação e Pesquisa de Mamíferos Aquáticos (CPPMA) da Eletrobras Amazonas Energia, localizado na Vila de Balbina no km 77 da rodovia AM-240, município de Presidente Figueiredo, registrou na manhã desta terça-feira (17), o nascimento do sétimo filhote de peixe-boi (Trichechus Inunguis).  Trata-se de uma fêmea, pesando 14,500kg e medindo 110cm. O nome da caçula do CPPMA será escolhido pelos moradores ribeirinhos do rio Uatumã durante uma expedição que será realizada pela Eletrobras Amazonas Energia em parceria com a Tetra Pak. A expedição irá acontecer por 15 dias pelo rio Uatumã e tem o intuito de levar conceitos de Educação Ambiental com ênfase no peixe-boi da Amazônia, objetivando a soltura dos animais em breve.

A mãe do filhote chama-se Iara e tem sete anos. Ela chegou ainda filhote ao Centro em 2005, ocasião em que foi entregue por um morador de Boa Vista do Ramos que a encontrou. Esse é primeiro filhote de Iara.
“Do nascimento até a sua liberdade, temos um árduo trabalho, mas nós não mediremos esforços para que o bebê e sua mãe fiquem juntos, saudáveis e em segurança”, afirma a médica veterinária Stella Lazzarini, que também é a coordenadora do CPPMA desde a sua fundação. Ela ressalta que o futuro do filhote ainda será cercado de incertezas e cuidados, até que ele volte para seu habitat natural.
Superpopulação

De acordo com Lazzarini, a gravidez de Iara não era esperada já que a equipe de técnicos do Centro optou pela separação dos animais criados em cativeiro, para evitar o aumento do plantel.

“Desde 2007, quando nasceu o último filhote, tínhamos separado os machos, as fêmeas e os jovens (com menos de 6 anos). No entanto, os jovens foram ficando adultos e começaram a se reproduzir. Isso aconteceu porque não conseguimos efetivar um plano para a reintrodução dos animais aptos para  a natureza. Estamos buscando outros parcerias para essa importante continuidade do projeto e consequentemente, para a sobrevivência da espécie”, esclareceu.

Com o novo filhote, o CPPMA que completa 20 anos em junho deste ano, passa a contar com 51 animais, sendo 44 entre jovens e adultos e sete filhotes.

O Centro conta com três tanques de 10m de diâmetro por 3,5m de profundidade, projetados para abrigar no máximo quatro animais por tanque. Segundo de Stella, ainda é cedo para afirmar que, pelo fato de ter nascido em cativeiro, o filhote terá maiores dificuldades de adaptação no momento da soltura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook