Nas curvas da lendária Highway 1, de Monterey a Carmel (parte 2)

A viagem pela costa californiana, que começamos a mostrar na semana passada, percorrendo a Highway 1, também conhecida como US-1 ou Pacífica, exige tempo disponível e paciência. Um descuido e o GPs te empurra para uma Free Way e tudo vira só mais uma viagem longa de carro. O negócio é perseguir a estrada litorânea e desfrutar da paisagem, atento às variações do caminho. As cidades de Monterey e Carmel by the Sea por exemplo, estão distantes entre si cerca de 15 quilômetros e são ligadas por uma estradinha particular famosa, que não deve faltar em nenhum roteiro na costa californiana: é a 17-Mile Drive, que atravessa  a Del Monte Forest e Pebble Beach, um misto de chácara e condomínio de alto luxo, padrão EUA, além de um dos principais destinos dos apreciadores e praticantes de golfe.

A guarita de entrada da 17-Mile Drive, Monterey-Carmel by the Sea, tem um guarda simpático, que entrega panfletos sobre o roteiro e cobra US$ 9 de pedágio

Para entrar na estrada paga-se um pedágio de US$ 9 por carro e você ganha um mapa com todos os pontos de interesse ao longo do percurso… e são muitos.

A beleza natural da estrada não dispensa uma conservação perfeita do asfalto e da sinalização, em meio à floresta cultivada

Logo no início do percurso há um mirante do qual é possível ver a Monterey Bay e as montanhas de Santa Cruz. Depois de passar pelas colinas de Huckleberry (Huckleberry Hill), um dos pontos mais altos da estrada, você chega na Spanish Bay, onde o explorador espanhol Dom Gaspar de Portolá aportou em 1769 antes de chegar a Monterey Bay.

Ao longe, a Monterey Bay

Passando por Huckleberry Hill, num momento em que as plantinhas azuis, que são anuais, ainda não estavam abertas. A paisagem, mesmo assim, é envolvente

Pebble Beach, praia com um belo visual e muitas pedras

 

Visão de um campo de golfe, encostado no mar, para melhorar a inspiração dos endinheirados em cada tacada

O Point Joe e a Bird Rock, num ponto onde a estrada parece te empurrar para mais perto do mar

Mais adiante há o Point Joe e a Bird Rock, uma pedra no meio do mar que serve de local de descanso para aves e leões marinhos. É onde carregar material fotográfico pesado, com tripés e lentes teleobjetivas, ou mesmo um binóculo poderoso, vale a pena. Os leões marinhos fazem muito barulho, mas é impossível vê-los a olho nu.

Um convite à contemplação, sob o impacto das ondas nas rochas

Continuando pela estrada, você chega ao Cypress Point Lookout, que oferece uma bela vista da costa do Pacífico e, depois, ao The Lone Cypress, um cipreste solitário de 250 anos, localizado na ponta de um rochedo e que virou uma das imagens mais simbólicas de Pebble Beach e uma das plantas mais fotografadas do mundo.

A vista, a partir do Cypress Point Lookout, é verdadeira paleta de cores

É isso que os moradores do condomínio querem ter sempre perto e fazem tanta questão de preservar

The Lone Cypress de longe, com uma ideia geral da paisagem que o envolve…

…e de perto, com a moldura de pedra, os cabos de aço que o protegem dos ventos e a folhagem rala, como se quisesse deixar passar o visual  do mar e da montanha

Um pouquinho mais adiante há The Ghost Tree, os ciprestes que já secaram e formam silhuetas sinistras, com seus ramos secos e contorcidos.

Esse é um dos pontos onde a viagem é mais lenta. Por isso é que a disponibilidade de tempo é um dos segredos para quem deseja curtir a viagem São Francisco-Los Angeles pela Pacífica – como é conhecida a Highway 1

Dá até para imaginar, usando a imaginação, que o cipreste seco tem um galho recostado na pedra, como se fosse um braço, e outro apontando em direção ao mar como se estivesse dizendo: “Aprecie a paisagem, tem tamanho P, M e G”, ou seja, cabe em todos os gostos

A dramaticidade que resulta da mistura de mar, rochas e ciprestes exige deixar o carro num dos point view muito bem sinalizados ao longo da 17-Mile Drive e dar uma longa caminhada ao redor

Área do Bosque de Ciprestes muito conhecida, por causa da “árvore fantasma”

Por todo o trajeto você se depara com mansões, alguns resorts exclusivos e campos de golfe profissionais.

Todas as casas de Pebble Beach são de alto padrão

Em Pebble Beach há alguns dos melhores campos de golfe dos EUA e com atividade diária

Mapa da 17-Mile Drive

1 – Shepherd’s Knoll

2 – Huckleberry Hill

3 – Poppy Hills Golf Course

4 – The Inn& Links at Spanish Bay

5 – Spanish Bay

6 – The restless sea

7 – Point Joe

8 –  China Rock

9- Bird Rock Hunt Course

10 – Bird Rock

11 – Seal Rock Picnic Area

12 – Spyglass Hill Golf Course

13 – Fanshell Overlook

14 – Cypress Point Lookout

15 – Crocker Grove

16 – The Lone Cypress

17 – The Ghost Tree

18 – Pescadero Point

19- The Lodge at Pebble Beach

20 – Peter Hay Par-3 Golf Course and 100th U.S. Open Monument

21 – Pebble Beach Equestrian Center

 

Carmel by the sea, a cidade onde um Rolex é o relógio de rua

A 17 Mile Drive termina em Carmel by the sea, uma pequena cidade turística que parece de brinquedo de tão arrumadinha. Balneário abastado dos norte-americanos, é  tão chique que os policiais andam de motos BMW e relógio público é o Rolex, exposto numa de suas esquinas. O centrinho é repleto de lojas e galerias de arte e oferece muitos hotéis e bons restaurantes. No verão, fica quase impossível conseguir hospedagem, se não for reservada com antecedência, e os lugares à mesa são disputadíssimos.

Esquina de Carmel, saindo do inverno, com as casas e a limpeza impecáveis

O pequeno jardim valoriza a vitrine da joalheria e acrescenta beleza à própria rua. Quem vai fazer primeiro por aqui?

As obras de arte, ao mesmo tempo que estão à venda, ficam na vitrine do País – por aqui passa muita gente influente, que pode transformar artista anônimo em famoso do dia para a noite

Que charme, hein?

Relógio Rolex no meio da rua é uma excentricidade exclusiva de Carmel

A cidade também ficou famosa por ter tido como prefeito o ator Clint Eastwood, de 1986 a 1988. Ele deitou um olhar de diretor cinematográfico sobre Carmel e o resultado ajudou a torná-la ainda mais bela.

No próximo post, vamos continuar a viagem mostrando o Big Sur, um dos trechos rodoviários mais cênicos do mundo, até Santa Barbara, uma bela cidade praiana, já nos arredores de Los Angeles.

 

 

Veja também

Califórnia: Nas curvas da lendária Highway 1, de San Francisco a Los Angeles (parte 1) A cada curva, um cenário de cartão postal. A California State Route 1, mais conhecida como Highway 1 (HGW 1), que liga San Francisco a San Diego, quase fronteira com o México, é uma estrada para ser percorrida sem pressa. Ela segue à beira do Pacífico, revelando praias, cruz...
Nas curvas da lendária Highway 1, de Santa Bárbara a Los Angeles (parte 4) A Highway 1 se estende até San Diego, quase fronteira com o México, mas nossa viagem por essa estrada lendária terminou em Los Angeles, a segunda maior cidade norte-americana, palco de Hollywood. De Santa Barbara a Los Angeles são cerca de 150 quilômetros.Solvang, uma pi...
A estrada Los Angeles-Las Vegas e a cidade que é o maior playground adulto do planeta Após percorrer a Highway 1, de San Francisco a Los Angeles (ver posts anteriores), há duas boas opções de roteiro: continuar a viagem pela estrada até a cidade de San Diego, quase na fronteira com o México, ou deixar a costa e tomar o rumo de Las Vegas, a capital mundial do ...
San Francisco, da Golden Gate aos vinhos do Napa Valley, em meio a cartões postais conhecidos mundia... Metrópole mais charmosa da Califórnia atrai muitos brasileiros, apesar de estar a 6 longas horas de voo de MiamiLocalizada na costa oeste dos Estados Unidos, San Francisco tem vários atrativos para satisfazer os turistas mais exigentes. A beleza de sua geografia é um del...
Nas curvas da lendária Highway 1: de Carmel a Santa Barbara (parte 3) O trecho mais bonito da highway 1, conhecido como Big Sur, fica entre Carmel e Santa Barbara. São 145 quilômetros de paisagens deslumbrantes, de uma beleza selvagem, com ondas batendo em penhascos, montanhas e belas enseadas. A maior parte da costa é protegida por parques es...

8 comentários para “Nas curvas da lendária Highway 1, de Monterey a Carmel (parte 2)

  1. Adson Villas-Boas disse:

    É realmente fascinante uma viagem desta, gostei do asfalto, parece o asfalto das nossas rodovias federais.

    RESPOSTA:
    Pois é, igualzinho (rsss).

  2. Luiz Eduardo Oliveira disse:

    Muito bom. Vou tentar encontrar esse caminho sem me perder. Qual a câmera que você usou? As fotos ficaram fantásticas. Parabéns.

    RESPOSTA:
    Usamos duas câmeras Sony, do tipo Cyber-Shot, e uma Olympus 30 X wide.

  3. ozeneide casanova disse:

    Amazing….

  4. Mara disse:

    Viagem maravilhosa, paisagens lindas. Vou continuar acompanhando.

  5. Jacques disse:

    Morei nos Estados Unidos muitos anos e quando vejo estas magnificas fotos vejo o desprezo de nossas vias, já pensou Marcos, se os impostos que pagamos fosse bem empregados, acredito que os locais mostrados in USA, não nos faria inveja.

  6. janete Maia disse:

    Amei suas fotos. Lugares lindos! Maravilhosos! Uma viagem para quem não pode viajar.
    Obrigada!

  7. anselmo pantoja disse:

    Mascos, estou complementando nosso planejamento através do seu Blog. Saindo cedo de San Francisco, parece que o indicado é almoçar em Monterey… e depois, no mesmo dia, dá para chegar até onde? o Aquario vale a pena mesmo, ou é dispensável? obrigado. Anselmo Belem Pará.

    RESPOSTA:
    Vale a pena passar no Aquário sim. Mas o melhor é dormir em Carmel, passando pela estradinha de 17 quilômetros que liga as duas cidades. Não esqueça de reservar uns três dias para San Francisco e o Napa Valey. É, para mim, a melhor parte da viagem.
    Você leu todo o nosso material? Veja no link ESPECIAIS e procure as matérias que têm esses títulos:

    Nas curvas da lendária Highway 1, de Santa Bárbara a Los
    Angeles (parte 4)
    Nas curvas da lendária Highway 1: de Carmel a Santa
    Barbara (parte 3)
    Nas curvas da lendária Highway 1, de Monterey a Carmel (parte 2)
    Califórnia: Nas curvas da lendária Highway 1, de San Francisco a Los Angeles (parte 1)
    San Francisco, da Golden Gate aos vinhos do Napa Valley, em meio a cartões postais conhecidos mundialmente

  8. ANGELA disse:

    MARCOS ESTAMOS INDO PARA LAS VEGAS E DEPOIS FAREMOS ESTA ROTA DE CARRO.
    DE LAS VEGAS ATE LOS ANGELES DE CARRO VALE APENA?
    NOSSO DESTINO E´SAN FRANCISCO .
    QUAIS CIDADES PODEREMOS PERNOITAR QUE VALE APENA.TEMOS 12 DIAS PARA FAZER VEGAS ATE SAN FRANCISCO.
    OBRIGADA ,
    ABRCS.

    RESPOSTA
    Olá Angela. A estrada entre Las Vegas e Los Angeles atravessa o deserto e tem poucas opções de cidades. Você pode fazer esse trecho de avião. Entre Los Angeles e San Francisco, a Pacífica (Highway 1) vale muito a pena. O percurso está todo detalhado nos quatro posts publicados no portal, mas saímos de San Francisco. Fiquei em Los Angeles (3 dias), Santa Barbara (2 dias) e Carmel (1 dia).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook