A escuridão na ponte Rio Negro e a incompetência para manter o sistema de iluminação do cartão postal (veja fotos)

ponte-escuro

Foto das 20h30 desta segunda (12/09). Atrás da ilha iluminada do Jardim das Américas aparece (num bom monitor) o vão central da ponte às escuras. Veja abaixo fotos denunciando o vandalismo que está chegando ao concreto. Foto: Marcos Santos

A ponte Rio Negro liga Manaus, no bairro da Compensa, à vila ou distrito do Cacau-Pirêra, no Município de Iranduba, sobre o rio Negro. Não é uma ponte longe demais, porém, devido à incapacidade do aparelho estadual para evitar o roubo dos fios de energia elétrica, está na escuridão.

Trata-se de um cartão postal, mas, por conta dessa escuridão, que dura meses e meses, Manaus recebeu os estrangeiros que vieram acompanhar os jogos do torneio de futebol da Olimpíada Rio/2016 e para Brasil 2 a 1 Colômbia, eliminatórias da Copa do Mundo 2018, sem oferecer o convidativo visual da ponte iluminada.

Parece pouco? Não há como alguém imaginar a Golden Gate, em San Francisco, ou a ponte do Brooklin, em New York, sem a famosa iluminação da parte estaiada. É um subproduto importante do turismo nesses locais, fator econômico fundamental em ambos.

Se ainda estivesse difícil de entender – e só a falta de entendimento da importância da iluminação pode explicar a escuridão – bastaria dizer que os aviões fazem a aproximação noturna do aeroporto de Manaus de maneira a permitir o visual da ponte. Ou, ainda mais importante, muitos moradores do Cacau-Pirêra trabalham do lado de cá e atravessam de bicicleta ou mesmo a pé para o lado de lá pela ponte. E lá se havia tornado convidativo local de corrida e caminhada, especialmente no fim da tarde, com o sol ameno e o visual esfuziante do rio e da cidade, na perspectiva da Ponta Negra e do Roadway.

O principal argumento para exigir a volta da iluminação, no entanto, é o custo. O Governo do Amazonas jogou para construir a ponte R$ 1 bilhão. E outros R$ 70 milhões só para iluminar e construir as balsas, à guisa de defensas, instaladas após a obra.

Nada de dinheiro a fundo perdido. Os recursos ou saíram dos cofres estaduais – leia-se impostos pagos pelos amazonenses – ou foram emprestados ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Empréstimo regular, com juros, correção monetária e cronograma de pagamento pelo Governo do Amazonas – os amazonenses, leia-se.

Seria terrível para o Governo do Amazonas admitir que perdeu a batalha para os vândalos. O que dizer das instituições estaduais se tal acontecesse? Seria a falência da capacidade estadual de garantir o patrimônio público.

Não se trata de perseguição a governante, mas, para garantir um direito adquirido com o suor dos amazonenses, é preciso intervenção do Ministério Público Estadual (MPE) e do Ministério Público Federal (MPF). A ponte Rio Negro às escuras é prevaricação, improbidade administrativa e seja lá o que mais for.

Para que servem, indaga o cidadão, os policiais que ficam 24 horas de um lado e outro da ponte? Apenas para olhar os documentos dos motoristas que passam por lá e atrasar a volta no fim de semana, provocando engarrafamentos gigantescos?

Para arrancar fios da ponte, que são especiais, bem mais grossos que esses comuns, usados nas residências, é necessária uma especialização rara. Se alguém sem conhecimento tentar, corre o risco de morrer eletrocutado. E o transporte? O material é pesado. A retirada, como é óbvio, corta a iluminação, que pode ser vista muito longe e o desligamento seria um alerta mais que suficiente para que a polícia fechasse as saídas e cercasse os ladrões.

Roubaram os fios, os conectores e até as câmeras de segurança, que deveriam justamente fazer a vigilância eletrônica da ponte. Pior é que agora já estão quebrando concreto para retirar outros materiais, o que pode colocar em risco todo o complexo.

O Amazonas e os amazonenses não podem abrir mão de patrimônio público conquistado com tanta dificuldade. O governador José Melo está inerte? O Governo do Estado mostra-se incompetente para resolver questões graves? Nada disso é desculpa para que os setores encarregados da fiscalização do poder público cruzem os braços. Nem o cidadão, que não pode assistir impassível o descalabro contínuo.

A ponte Rio Negro é exemplo de inoperância, incompetência e pouco caso com o patrimônio público. Mas é também emblemática da necessidade de uma sacudida em José Melo e sua administração. Ele passa. O Estado fica.

ponte-vandalismo4

Você verá a seguir cenas que denunciam o vandalismo na ponte Rio Negro. São fotos do fim de semana passado. Esta mostra que a câmera de um dos estais foi roubada


ponte-vandalismo2

Outra câmera de vigilância teve os fios cortados


ponte-vandalismo

Os ladrões abrem, com instrumentos especiais, compartimentos que deveriam permanecer fechados e seguros, par retirar fios e outros equipamentos


ponte-concreto

Aqui fica evidente como os vândalos quebraram o concreto para roubar, numa demonstração de como a falta de segurança na ponte pode se tornar um perigo

Veja também

Escreve contos, romances ou poemas? Últimos dias para inscrições no Edital Prêmios Literários de Man... O período de análise das obras pela comissão julgadora será de 9 de março a 1º de maio de 2018. Foto: DivulgaçãoNa última quarta-feira do mês, dia 28, termina o prazo para as inscrições no Edital Prêmios Literários Cidade de Manaus. As fichas de inscrição podem ser obti...
Protesto contra reforma da Previdência no Distrito Industrial, em Manaus Os manifestantes chegaram a fechar a entrada pra rua Quixito. Foto: Divulgação PMUm grupo de trabalhadores do Distrito Industrial e membros de centrais sindicais realizaram na manhã desta terça-feira (20), uma manifestação contra a reforma da Previdência, na rua Rio Qui...
Pistoleiros atiram contra homem em possível acerto de contas perto de campo de futebol na Compensa Samu foi acionado e levou Wesley Sales, que foi alvejado com quatro tiros na Compensa. Foto: DivulgaçãoWesley Sales Ferreira, 20, foi atingido com pelo menos quatro tiros no fim da noite desta segunda-feira (19). A tentativa de homicídio aconteceu na rua Gilberto Mestri...
Homem é preso comercializando drogas em estacionamento de hospital na zona Norte de Manaus A equipe se deslocou até o local indicado, realizou a abordagem e no interior do veículo foi encontrado 2kg de substância entorpecente maconha do tipo skank, 1kg de oxi, além de uma quantia em espécie de R$ 807,00. Foto: DivulgaçãoAnderson Costa de Menezes, de 28 anos, ...
Obras de recuperação da ponte na avenida Brasil iniciam nesta terça Já a partir das 7h da terça-feira, o trânsito será desviado na avenida Brasil, no trecho entre a rua Tobias Barreto e avenida Compensa, zona Oeste, em virtude das obras. Foto: DivulgaçãoA prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf),...

Um comentário para “A escuridão na ponte Rio Negro e a incompetência para manter o sistema de iluminação do cartão postal (veja fotos)

  1. L MENEZES disse:

    Marcos Santos, a incompetência é somente uma parte em tudo que o Governo e prefeitura fazem com o Estado e com Manaus, tb junta-se a negligencia e o descaso com o dinheiro do povo, basta ver que do lado de Iranduba, os postes de iluminação ficam acessos 24 horas, isso a mais de 1 ano e ninguem faz nada, praças construidas e depois abandonadas, vide o exemplo do monumental ao nada, erguido no inicio da via que dá acesso a ponte, só pra atender a sanha megalomaníaca do Cadeirudo, que custou 5 milhoes e hoje é abrigo de indigentes e vagabundos, isso a 100 metros do Palácio do Governo, e ninguem faz nada; a Ponte é hoje da promessa do cartão postal, a nossa verdadeira vergonha nacional.
    Alias alguém pode me dizer pra que serve essa tal de secretaria de região metropolitana ? Os caras de lá devem tá com os sacos saindo sangue de tanto coçar. KKKKKKKK

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *