Os preditores de votos do 2º Turno da eleição para a Prefeitura de Manaus

cartolaPreditor, o adjetivo que o Houaiss desconhece e o Dicionário Online de Português considera “Característica do que ou de quem prediz; que diz anteriormente de”, é a nova palavra mágica dos marketeiros da política. O termo é usado, na prática, para indicar o elemento capaz de transformar um discurso ou uma atitude do candidato em voto. É o novo alvo das pesquisas e busca definir o anseio do eleitor, aquilo que espera para definir o escolhido para votar. O desafio, no 2º turno da eleição municipal de Manaus, é buscar os preditores de votos para Arthur Virgílio Neto e Marcelo Ramos.

Havia, até então, dois tipos de pesquisas eleitorais: a quantitativa, que mostra o porcentual de intenções de votos no candidato (exemplos são as pesquisas mostrando ou Arthur ou Marcelo 6% à frente um do outro, dependendo do instituto pesquisador), e a qualitativa, aquela que sonda o sentimento do eleitor, as qualidades e defeitos do candidato e os problemas mais urgentes da sociedade em questão.

A pesquisa dos preditores de voto, que poucos institutos utilizavam até então, este ano se tornou mais popular. Ela sonda, entre defeitos, qualidades e problemas apontados na qualitativa, o que têm o poder de mexer com o eleitor e fazê-lo definir o voto.

Os candidatos, desde o primeiro turno, estão trabalhando infraestrutura urbana, segurança, educação e, com mais ênfase a partir da Operação Maus Caminhos, saúde.

Com a máquina em pleno uso, o prefeito tem amplas chances de reverter a principal reclamação no item infraestrutura, asfaltando as ruas dos bairros periféricos, e a parte que toca à Prefeitura na segurança, iluminando as ruas com lâmpadas de led. Isso eliminaria duas reclamações prementes do manauara e poderia reverter votos.

O preditor de voto mais importante, no entanto, está oculto nesse emaranhado do dia-a-dia da campanha. Ele avulta em meio à crise econômica e política nacional. Está presente em todo o País. É a capacidade administrativa.

O eleitor quer saber quem é o mais capaz para conduzir os R$ 6 bilhões anuais entregues pelo contribuinte à Prefeitura de Manaus, em meio à crise econômica severa que vivemos.

Arthur Virgílio perdeu uma chance de ouro. Marcelo Ramos passou semanas “acusando” o prefeito de ter obtido R$ 5 bilhões a mais em arrecadação que o antecessor, Amazonino Mendes. Jogou duro no questionamento sobre o que foi feito com esse dinheiro. Arthur dirigiu todos os comerciais desse período à explicação da chamada “Manaus Inteligente” e ignorou o bate-estaca do adversário, cristalizando a ideia de que usou mal o dinheiro e perdendo a chance de transformar a crítica do adversário em elogio: além de sobreviver à crise sem diminuir expediente, vantagens ou salários do funcionalismo, ainda conseguiu arrecadar mais.

Aí passou na janela um preditor de votos favorável a Arthur. Marcelo, por seu turno, aplicou bem a vacina contra o figurino de bom administrador, que Arthur poderia ter exibido.

Quando reiniciar a propaganda eleitoral, com os números mostrando a disputa acirrada, o desafio dele, Marcelo, é mostrar capacidade de lidar com os grandes problemas da cidade. A sutileza é não enveredar pelas promessas fáceis, prometendo solução para problemas que precisarão de várias gestões para serem resolvidos, como o transporte coletivo. Vale até um discurso na linha do “comigo não vai piorar e conto com a população para cobrar de meus sucessores que continuem o que vou começar”.

O afastamento de José Melo tem sido outro preditor de voto. A popularidade do governador está no chão. Ele se encolheu, desistiu de lutar pela própria imagem. O PROS, partido dele, como integrante da coligação de Marcelo é muito ruim.

Veremos a postura dos candidatos. Quem usar melhor os preditores de votos ganha. Tomara que Manaus ganhe também.

Veja também

Um comentário para “Os preditores de votos do 2º Turno da eleição para a Prefeitura de Manaus

  1. Ronaldo Pereira disse:

    A Rede Tiradentes perdeu o pouco de credibilidade que ainda tinha. Culpa sua ao ter saído de lá. Não estava combinando a programação tipo Datena na política com a sua sobriedade. Boa sorte para onde você for. Divulgue para que o acompanhemos. Depois que a CBN saiu da Rede Tiradentes já foi uma perda de qualidade enorme na programação. Agora, não sobrou mais nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook