Rebelião na Vidal Pessoa termina com quatro mortos. Três foram decapitados

pm-vidal

Batalhão de Choque da PM foi acionado para conter a rebelião.

Quatro presos foram mortos na madrugada deste domingo (08/01), na Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro. Três presos foram decapitados e um asfixiado pelos outros internos.

Segundo o Comitê de Gerenciamento de Crise, os internos iniciaram uma briga por motivo desconhecido, que resultou na morte dos presos. A rebelião teria começado por volta de 2h30, o Batalhão de Choque da Polícia Militar foi acionado e o motim foi controlado por volta das 3h30. A situação neste momento é considerada estável e com policiamento reforçado pelo Batalhão de Choque.  A Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e a PM estão realizando nova contagem dos presos da Cadeia Pública. As mortes serão investigadas.

A Seap informou que um dos presos da Cadeia Pública foi encaminhado para um pronto-socorro com ferimento no abdômen, passou por cirurgia e esta na enfermaria, com quadro clínico estável. À tarde, ele foi identificado como Douglas Costa Mesquita, 27 anos.

Na Cadeia Pública estão cerca de 280 presos transferidos de unidades prisionais do Estado, após a mortes ocorridas no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP). A medida foi tomada para garantir a vida dos presos ligados à facção Primeiro Comando da Capital (PCC), ameaçados por membros da Família do Norte (FDN), e também para evitar novos confrontos nos presídios.

Fontes do portal afirmam que pode ter ocorrido falha na triagem dos presos transferidos da UPP e do Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), que incluiu no grupo membros da FDN.

Na sexta-feira, os presos provocaram um tumulto na cadeia, exigindo banho de sol e visita dos familiares. Após negociação entre os presos e os representantes da Secretaria de Segurança Pública (SSP) e Seap, a situação foi controlada.

vidal-pessoa-motim

Rebelião começou por volta das 2h30 e só foi controlada uma hora depois.

vidal-pessoa-rebeliao

Familiares dos detentos protestaram por falta de informações.

Protesto

Em frente à cadeia, dezenas de familiares aguardavam notícias sobre seus parentes presos. Eles protestaram por falta de informações e por ainda não ter sido divulgado os nomes dos mortos.

Veja vídeo:

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook