Quarta-feira, 25 de abril de 2018

Defensoria Pública vai cadastrar famílias de presos mortos durante rebelião em presídios

 

iml-familias-mortos-na-rebeliao

Os familiares dos presos mortos devem procurar a unidade da DPE-AM que fica na rua 24 de maio, no Centro. Foto: Arquivo

A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) vai realizar, nos dias 20 e 21 de janeiro de 2017, o cadastro das famílias dos detentos assassinados nos presídios de Manaus neste mês para iniciar a análise do processo de indenização. Os atendimentos serão feitos na unidade da DPE-AM que fica na rua 24 de maio, no Centro da cidade, entre 8h e 14h.

Os documentos necessários ao cadastro estão disponíveis no site da DPE-AM (www.defensoria.am.def.br). A crise no sistema carcerário do Amazonas resultou em 64 mortes desde o primeiro dia do ano. No Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) foram 56 mortos; na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) outras quatro mortes; e na Raimundo Vidal Pessoal, mais quatro assassinatos no último domingo, 8 de janeiro.

O defensor público da 1ª Defensoria Especializada de Atendimento de Interesses Coletivos da DPE-AM, Carlos Alberto de Souza Almeida Filho, afirmou que as indenizações são devidas em função da tutela que o Estado tem sobre a guarda dos detentos.

Carlos Almeida Filho afirmou que a indenização para os familiares dos presos defendida pela DPE-AM está prevista nos incisos III, XLVI e XLVII do artigo 5º da Constituição Federal. O inciso XLVI regula os tipos de pena que devem ser submetidos os detentos no Brasil, entre as quais a privação ou restrição da liberdade. O inciso XLVII indica que não haverá penas de morte e nem cruéis. O inciso III prevê que ninguém deve ser submetido a tratamento degradante e tortura.

“No Brasil, a Constituição define que o único direito que é retirado do preso é a liberdade. Não se perde direito à vida e nem à dignidade. O preso, fisicamente, deveria sair da mesma forma que entrou. Lesão como ocorreu em Manaus se constitui numa grave violação aos direitos humanos”, declarou.

Carlos Almeida Filho informou que a Defensoria Pública já se reuniu com o Governo do Amazonas, por meio da Procuradoria Geral do Estado (PGE), para tratar do processo de indenização. Disse, também, que a forma de pagamento e valores ainda são objetos de estudo. ”Essas indenizações vão seguir os padrões observados nos tribunais superiores, onde há precedentes para esse tipo. A Defensoria Pública ainda está fechando com a PGE a forma como isso vai ocorrer. Ou um termo de acordo ou um termo de ajustamento de conduta para estabelecer a procedimentalização”, disse.

O defensor público indicou que a indenização poderá ser concedida de uma só vez ou com um valor menor por meio de pensão. “Cada caso é um caso. Se o valor for x e se for só um dependente, ele receberá x. Se deixou vários dependentes esse x será dividido por todos”, frisou.

Veja também

Cabo Maciel cobra governo sobre pagamento da data-base da PM O deputado Cabo Maciel disse que a tropa quer saber se o governador pagará em cota única a data-base de 2018. Foto: Divulgação O deputado estadual Cabo Maciel (PR) cobrou do Governo do Estado o pagamento da data-base dos policiais militares que está atrasado há quatro an...
Bairro Aparecida recebe projeto ‘Brincando de Rua’ neste sábado O projeto 'Brincando de rua' estará no bairro de Aparecida neste sábado. Foto: Divulgação Os moradores do bairro Aparecida vão reviver neste final de semana atividades e brincadeiras de rua. A programação do projeto "Brincando de rua", de iniciativa da Prefeitura de Manaus...
Afonso Lobo, Evandro Melo e Pedro Elias terão que pagar fiança para sair da cadeia, diz TRF1 Os ex-secretários de Estado presos na operação "Custo Político" Evandro Melo, Afonso Lobo e Pedro Elias devem sair da cadeia na manhã desta quarta-feira (24).  A Terceira Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região,  em sessão realizada nesta terça-feira (24), deferi...
Prefeitura intensifica mutirões de tapa-buracos na cidade O mutirão de tapa-buracos da Prefeitura de Manaus chega nesta semana a mais dois novos bairros. Desta vez, os bairros São José, na Zona Leste, e conjunto Shangrilá, no bairro Parque Dez, zona Centro-Sul, começaram a receber os serviços de recuperação da malha viária, manut...
CGL/AM lança editais de licitação para regularização fundiária em conjuntos habitacionais de Manaus... Foto: Divulgação A Comissão Geral de Licitação do Estado do Amazonas (CGL/AM) vai publicar, nesta quarta-feira (25), dois editais de licitação que visam contratar empresas que atuarão na regularização fundiária para entrega futura de títulos definitivos de imóveis situados...

Um comentário para “Defensoria Pública vai cadastrar famílias de presos mortos durante rebelião em presídios

  1. NORA NEY disse:

    Será que na constituição não tem nem um artigo ou lei que também, sejam vitimas desses bandidos para serem indenizados?
    Minha indignação é pelo fato que todos nós de alguma forma fomos lesados , roubam nossos bem, crianças vitimas de estupros ou outras formas, só que não tem se quer reparo, os valores estão totalmente invertidos,sei que o Estado tem que zelar pela integridade física e moral dos preso e nossa integridade física como fica falhou e falhou muito o Estado.
    Somos cidadoes que pagamos nossos impostos em dias e nunca se quer fomos indenizados, quantos pais de famílias foram ceifadas vida por conta desse bandidos
    ###REVERCONSTITUIÇÃO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook