Mostra de Teatro do Amazonas começa dia 27 com o drama ‘Ensaios de Despedida’

A Mostra de Teatro do Amazonas está em sua 11ª edição e será realizada de 27 a 29 de março. Foto: Divulgação

Quem abre os trabalhos da Mostra, iniciativa da Federação de Teatro do Amazonas (Fetam), é o Ateliê 23 com o drama ‘Ensaios de Despedida’. O espetáculo será no dia 27 de março (segunda-feira), às 20h, no Les Artistes Café Teatro, com acesso gratuito à população. Na sequência, a Fetam oferecerá um jantar comemorativo para convidados.

No dia seguinte (28/03, terça-feira), A Companhia de Teatro Apareceu a Margarida retoma a comédia ‘A herança maldita de Mercedita de La Cruz’ no palco do Teatro Amazonas, às 20h, com ingressos a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada para estudantes com carteira). Escrita por Sérgio Cardoso, com direção de Chico Cardoso, a peça é um dos maiores êxitos do teatro amazonense, com quase 30 mil espectadores.

Fechando a primeira etapa da Mostra de 2017, a Companhia Trilhares apresenta para o público infanto-juvenil a clássica obra ‘Os Saltimbancos’, de Chico Buarque. A única sessão da peça será às 16h, do dia 29 de março (quarta-feira), também no Teatro Amazonas, com ingressos a R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada para estudantes com carteira).

Para Douglas Rodrigues, presidente da Fetam, nem mesmo os entraves políticos que o país atravessa são capazes de desestimular o movimento teatral amazonense. “A arte sempre refletiu a historicidade do homem. Vivemos um período caótico nas instituições políticas. A continuidade da Mostra de Teatro do Amazonas, em sua décima primeira edição, fortalece o engajamento e a participação dos artífices teatrais, revigorando a arte teatral imortal, através do tempo e das transformações sociais”, disse o dirigente.

A 11ª Mostra de Teatro do Amazonas voltará para uma segunda etapa, de 24 a 30 de abril, com 14 espetáculos no Les Artistes Café Teatro. Os grupos teatrais e artistas interessados em participar deverão enviar e-mail para a Fetam até o dia 25 de março, no seguinte endereço eletrônico: fetam.teatro@gmail.com. O evento é uma realização da Federação de Teatro do Amazonas, com apoio cultural do Governo do Amazonas por meio da Secretaria de Estado da Cultura (SEC), da Prefeitura de Manaus, através da Manauscult, e da Prefeitura de Rio Preto da Eva.

Despedida

Dirigida por Eric Lima, a montagem ‘Ensaios de Despedida’ traz a história de um casal, vivido pelos atores Taciano Soares e Thais Vasconcelos, em várias fases do relacionamento. “Nesse momento, eles passam por um conflito, que não afirma se eles estão se separando ou não. Nós deixamos isso para o público decidir”, declarou Eric. O enredo da peça ainda se baseia em histórias de relacionamentos dos próprios integrantes da companhia, com recortes de filmes importantes e referências diversas no campo da arte.

A obra começou a ser construída durante ao evento ‘Mostra Inútil’, primeiro experimento do Ateliê 23. Isso determinou as alças de pesquisa que nortearam o espetáculo. “Ele faz parte dessa pesquisa que temos sobre relacionamentos, sobre modernidade líquida, amores líquidos, o que tem a ver com a obra do escritor Bauman, e, ainda, outras questões”, destacou o diretor, que também assina a provocação dramatúrgica da montagem.

Mercedita

O espetáculo “A Herança Maldita de Mercedita de La Cruz” tem como eixo principal a decadência em que a cidade de Manaus mergulhou na transição da década de 40 para 50, em consequência do declínio econômico, provocado pela queda vertiginosa da borracha da Amazônia no mercado mundial.  Momento em que todas as famílias tradicionais da cidade se mudaram para o Rio de Janeiro, em busca de dias melhores, fugindo do caos econômico e da bancarrota.

A comédia completou 10 anos nos palcos locais com os atores Michel Guerrero, Arnaldo Barreto e Nivaldo Mota e Hely Pinto. Na trajetória, percorreu estados do Brasil, como Rio de Janeiro, Acre e Amapá.

Saltimbancos

Um clássico infantil, ‘os Saltimbancos’ atravessa gerações com o mesmo brilho e frescor. A história da luta de quatro bichos contra a máquina opressora, exploradora e cada vez mais exigente, uma conotação do sistema capitalista: opressor versus oprimido. Inspirado na clássica adaptação de Chico Buarque de Holanda, o espetáculo marca o primeiro musical da Cia. Trilhares.

A Cia Trilhares entra em cena para levar ao público infantil, toda a essência da adaptação da obra do renomado compositor, com as músicas conhecidas pelas crianças e com um cenário que ganha vida, através do Teatro de Sombras.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook