Casos de viroses aumentam, mas tratamento é simples e pais devem ficar atentos aos sintomas

As mudanças repentinas de temperatura e a permanência por períodos prolongados em ambientes com pouca circulação de ar são fatores que aumentam a exposição das crianças a infecções por vírus, como as famigeradas “viroses”.

Apesar de assustar muitos pais, especialistas afirmam que essas viroses são, em regra, benignas, autolimitadas e combatidas pelo próprio corpo da criança. Por causa dessas características, a maioria dos casos requer apenas tratamento sintomático, sem a necessidade de se recorrer a uma unidade de saúde.

A pediatra e diretora técnica do Pronto Socorro da Criança da Zona Oeste, Eriane Oliveira, diz que os sintomas desse tipo de virose são fáceis de identificar, e que apenas se algumas dessas características fugir do padrão é que os pais devem procurar um médico. “São características dessas viroses três dias de febre, cinco dias de garganta irritada e 15 dias de tosse com catarro”, explica a pediatra.

A médica conta que dentro desse quadro geral, o próprio corpo da criança se encarrega de eliminar a doença, exigindo-se apenas cuidado no controle da febre com antitérmicos, por exemplo.

“As viroses são doenças causadas por germes que o próprio corpo elimina. São doenças causadas, geralmente, por via respiratória, a maioria tem o nome de resfriado. Nos três dias de febre, cinco dias de garganta irritada e 15 de tosse com catarro, que o corpo mesmo elimina, os pais devem apenas ter o cuidado para que a criança fique em repouso e se mantenha hidratada”, afirma Eliane.

A pediatra diz que a água é muito importante no combate aos sintomas da doença, por isso é preciso que as crianças tomem pelo menos um copo de água a cada três horas. “Porque a água é o melhor expectorante, afina o catarro, o que ajuda na sua eliminação. Não precisa nem de xarope”, conta a médica.

Eriane conta que há procedimentos de fisioterapia que ajudam a eliminar a secreção, e que podem ser feitos em casa pelos próprios pais. Um que a pediatra indica é feito após o banho. Consiste em manter a criança com as mãos apoiadas nos joelhos e, durante um minuto, o pai ou a mãe realiza pequenas batidinhas nas costas do pequeno, com um intervalo de um segundo entre cada batida.

A ação, aliada ao prolongado contato da água com o corpo da criança durante o banho, ajuda na eliminação do catarro, explica a médica. “Quanto entramos numa piscina ou rio não percebemos que começamos a eliminar secreção pelo nariz? Então, a fisioterapia reproduz essa mesma situação. É algo fácil que pode ser feito pelos próprios pais”, ensina Eriane.

Assim como outros especialistas, Eriane aconselha os pais a manterem a calma. O desenvolvimento de doenças dessa natureza é natural e faz parte do desenvolvimento das crianças. A médica conta que existem mais de 200 famílias de vírus responsáveis por essas infecções, o que torna impossível não se expor a eles.

“Afinal, as crianças têm vida social, precisam ir à escola, shoppings, e a outros ambientes fechados. Resfriado e gripe são doenças normais e os pais precisam perder esse medo delas”, aconselha a pediatra, que atua há 36 anos na área.

Somente no mês de março, o Pronto Socorro da Criança da Zona Oeste chegou a atender 208 crianças com o diagnóstico de virose. Na unidade da zona Sul, foram 144 casos.

O número de atendimento desses tipos de casos nos SPAs também tem sido grande no último mês. No SPA do São Raimundo, por exemplo, foram registrados 90 atendimentos entre 1º de março e 11 de abril.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook