Vice-governador Henrique Oliveira anuncia obras de infraestrutura em Tabatinga

O vice-governador Henrique Oliveira participou da solenidade de entrega de equipamentos e veículos realizada pelo ministro da Saúde interino, Francisco Figueiredo. Foto: Valdo Leão/Secom/Divulgação

Em comemoração ao Dia do Índio, celebrado nesta quarta-feira, 19 de abril, o vice-governador Henrique Oliveira esteve em Tabatinga (a 1.105 quilômetros de Manaus em linha reta), onde anunciou um série de obras de infraestrutura para o município, durante a solenidade de entrega de equipamentos e veículos realizada pelo ministro da Saúde interino, Francisco Figueiredo, ao Distrito Sanitário Especial Indígena do Alto Rio Solimões (DSEI), no Porto Voyager.

Entre as obras estão a reforma do Centro Cultural Presidente Lula e do Estádio Odim Viana, além da chegada do Barco Todos Pela Vida, da construção de um Centro de Ensino de Tempo Integral (Ceti) e do asfaltamento dos ramais Urumutum e Umariaçu 1 e 2, que irá facilitar o escoamento da produção agrícola e a locomoção de varias várias comunidades indígenas.

As obras fazem parte do pacote anunciado na última segunda-feira (17), no valor de R$ 1,675 bilhão, pelo governador do Amazonas, professor José Melo, para o biênio 2017/ 2018 que contemplará os municípios do Estado com obras relacionadas ao desenvolvimento logístico e econômico de cada região. “Para mim é um grande presente estar aqui hoje, trazendo essas boas notícias para Tabatinga, que são frutos de uma reunião do governador José Melo, com o prefeito Saul. Também é com muita felicidade que participamos dessa entrega que irá beneficiar a população indígena do município”, disse Henrique Oliveira.

Equipamentos

Durante a solenidade foram entregues 50 embarcações, 40 geradores e três veículos (pick-up), que irão aprimorar o atendimento da saúde de quase 1.650 famílias ribeirinhas e nove mil indígenas de 50 aldeias localizadas no rio Solimões, nos municípios de Tonantins, Santo Antonio do Içá, Amaturá, São Paulo de Olivença, Benjamin Constant, Tabatinga e Japurá. A população desses municípios é composta por sete etnias indígenas: Ticuna, Kocama, Kaixana, Kambeba, Kanamari, Witoto e Maku-Yuhup.

As pick-ups vão servir os Polos Base (unidades de apoio para o atendimento direto à população indígena) das comunidades Belém de Solimões, Betânia, Santo Antônio do Içá e Tonantins. Ao todo, o Ministério da Saúde investiu R$ 970 mil.

De acordo com o Ministro interino da Saúde, Francisco Figueiredo, a entrega dos equipamentos é fundamental para que a saúde do indígena seja respeitado, facilitando o seu acesso. “Hoje é um dia de festa, estarmos aqui no Dia do Índio. E o mais importante ainda é que já tem empenhado R$ 1,3 milhão para mais novas 52 lanchas que viabilizará a abrangência aos quase 70 mil indígenas desta região”.

Visita

Ainda no município de Tabatinga, a comitiva visitou a sala da parturiente indígena da Maternidade Celina Villacrez, vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (Susam). A unidade beneficia parturientes das etnias Tikuna, que é a maior tribo indígena do Brasil, Kocama, Kaixana, Kanamari, Kambeba, Witoto e Maku-Yuhup, todas predominantes da região do Alto Solimões.

Decoração

O diferencial da sala de parto para pacientes indígenas é que a mesma foi decorada por artistas indígenas da etnia Tikuna. Eles pintaram o local com imagens regionais que representam o dia a dia dos índios.

No local, as indígenas adotam as práticas e costumes tradicionais dos índios na hora do parto, como a utilização de cordas, rede e o acompanhamento com parteiras e também do esposo da gestante. Vale ressaltar a presença do profissional médico e da equipe de enfermeiros e técnicos durante todo o atendimento.

Tradutores

Um outro diferencial da Maternidade Celina Villacrez Ruiz é que a unidade conta com a ajuda de tradutores indígenas cedidos pelo DSEI do Alto Solimões (ARS/Sesai-MS) com a finalidade de auxiliar os pacientes indígenas. Os tradutores são especialistas na língua Tikuna, que é predominante entre os indígenas na região do Alto Solimões.

O DSEI Alto Rio Solimões atende a segunda maior população indígena do país, abrangendo sete municípios. A região concentra aproximadamente 65 mil índios de diferentes etnias, e de 227 aldeias.

 

Veja também

A nulidade do voto Se fizermos uma conta simples, com números aproximados, tomando os dados da eleição amazonense, veremos algo espantoso. Se a abstenção for de 20%, em cerca de 2,3 milhões de eleitores, já teremos um total de 460 mil ausentes, ou seja, apenas 1,840 milhão deverão comparecer à...
No meio do povo, Amazonino festeja os 30 anos do bairro Armando Mendes O candidato Amazonino Mendes (PDT) festejou ao lado dos moradores do bairro Armando Mendes, Zona Leste, os 30 anos de fundação da comunidade, no fim da tarde desta quarta-feira (23), durante um minicomício. A manifestação popular contou com a participação do prefeito de ...
A gastronomia amazonense pede socorro A gastronomia vem, cada vez mais, ganhando destaque no cenário nacional. No turismo, mundo afora, isso é uma realidade que atravessa os séculos. Até os Estados Unidos, cuja aptidão gastronômica sempre foi muito criticada, principalmente devido ao gosto pelo fast food, vai ao...
Eduardo Braga e Marcelo Ramos trocam abraço caloroso, em evento com artistas, encerrando boatos de b... Eduardo Braga e Marcelo Ramos trocam abraço caloroso, durante evento no PCdoB, encerrando os boatos de que brigaram. Foto: Chico BatataUm evento promovido pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB), na noite desta terça-feira (22/08), mostrou que as relações entre o senad...
Menos de 48h após prisão, Mano Kaio, que preparava execuções, pede desculpas às famílias dos que mat... O líder da facção criminosa Família do Norte (FDN), Kaio Wellington Cardoso dos Santos, conhecido como “Mano Kaio”, pediu desculpas às famílias das pessoas que matou. O traficante, que tem fama de sanguinário e é acusado de vários crimes, confessou que estava organizando um ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook