Maior fiscalização na Ponta Negra reduz em 60% o volume de vendedores clandestinos na praia

A comissão que atua na fiscalização e controle urbano do Complexo Turístico Ponta Negra, na zona Oeste, reduziu em 60% o volume de vendedores clandestinos no local, que acessam o espaço principalmente pelo calçadão e pela areia.

De março até o último fim de semana, foram apreendidos no espaço mais de 900 itens alimentícios, desde marmitas, salgados, queijo assado, camarão em espeto e outros produtos comercializados sem procedência e data de validade. A ação também se intensifica na fiscalização geral da área de praia, combatendo o trabalho infantil e a presença de menores de idade sem acompanhantes.

“O trabalho é diuturno e permanente, para garantir a integridade, a segurança e o bem-estar de quem vai até o cartão-postal. A comissão também atua para garantir o patrimônio do parque e suas operações comerciais, que são todas licitadas, incluindo as barracas de praia e os carrinhos do calçadão e quiosques”, explica o diretor-presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), Claudio Guenka. O órgão é responsável pela gestão do espaço, cujo modelo de operação apresenta resultados positivos.

“A comissão faz, diariamente, junto com a Polícia Militar, Guarda Municipal e Corpo de Bombeiros, várias varreduras principalmente na área de praia, usando os quadriciclos, carros e homens a pé, para coibir vendedores ilegais, a presença de possíveis delinquentes, além de realizar a retirada de banhistas no horário estabelecido para o banho, que é de até 17h, em cumprimento ao TAC firmado com o Ministério Público. Fazemos isso para garantir maior segurança aos banhistas”, explica Guenka.

Cabe também à comissão o trabalho de orientar e pedir apoio aos usuários do complexo para que não consumam produtos de origem desconhecida, já que as condições de higiene dos itens apreendidos são precárias e os alimentos clandestinos podem oferecer risco à saúde.

Segurança

A área do bairro da Ponta Negra e do complexo é atendida pela 19ª Cicom e no patrulhamento hoje estão operando, na praia, calçadão e entorno, um quadriciclo, duas motos, uma viatura e uma viatura de supervisão, com atendimento 24h. O quadriciclo tem acesso direto à areia, com uma dupla de policiais. O serviço receberá um segundo quadriciclo, que está em manutenção de rotina. A linha direta com a PM na área funciona pelos telefones (92) 99392-2456 e 98842-1763.

Sinalização

Este mês, o balneário recebeu novas placas de sinalização com horários de funcionamento. Os frequentadores precisam observar as regras de bom uso do espaço, que podem ser facilmente localizadas nas placas informativas instaladas desde o calçadão até a praia, que também ajudam no controle e na segurança.

Na praia, além do horário de funcionamento indicado para banho – até às 17h – e a preocupação com as crianças dentro do rio, a recomendação é o cuidado no consumo de bebidas alcoólicas. Diariamente, os corpos permanentes de segurança, incluindo Guarda Municipal, PM e Bombeiros, atuam dando apoio à retirada de banhistas das águas antes das 17h.

É importante respeitar as normas de uso da praia e não ultrapassar o cordão de isolamento, que indica área de segurança dentro da água. Também é recomendado aos banhistas que evitem entrar na água alcoolizados, diminuindo os riscos de afogamentos e outros acidentes.

Durante a semana, o Corpo de Bombeiros conta com uma equipe de 12 salva-vidas, diariamente, na área da praia, distribuídos por todo o perímetro. Nos finais de semana, devido ao aumento do número de usuários, o contingente aumenta para até 30 socorristas, que se revezam em turnos.

A praia está liberada para banho no rio até às 17h. Após esse horário, pelas normas do complexo, é proibido entrar na água e não há mais salva-vidas no local.

Veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook