STF concede prisão domiciliar ao ex-médico Roger Abdelmassih

Expectativa de advogado de ex-médico é que seu cliente deixe a penitenciária na segunda-feira para cumprir prisão domiciliar. Foto: Divulgação

Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, determinou que o ex-médico Roger Abdelmassih, deixe a Penitenciária de Tremembé, no interior paulista, e volte a cumprir pena em prisão domiciliar. A corte informou que não irá divulgar o teor da decisão enquanto ela não for publicada no Diário Oficial da Justiça.

Abdelmassih estava preso na Penitenciária de Tremembé desde o dia 24 de agosto, após uma decisão que cassou a liminar que permitia que o ex-médico cumprisse pena em prisão domiciliar por causa da falta de tornozeleira eletrônica no estado paulista.

A expectativa de seu advogado, Antônio Celso Fraga, é que, devido ao plantão judiciário no final de semana, seu cliente deixe a penitenciária na segunda-feira (2).

“A decisão ainda não está disponível no site do Supremo. Mas os ofícios já foram encaminhados. Só que o Poder Judiciário só funciona em regime de plantão aos finais de semana. Então, acho pouco provável que ele saia hoje. É muito mais possível na segunda-feira”, disse Fraga. A Agência Brasil não conseguiu contato com a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) para confirmar quando o ex-médico deve deixar a prisão.

O advogado destacou que a prisão domiciliar não havia sido cassada, mas apenas suspensa. “Os requisitos da doença grave e da impossibilidade do Estado de garantir o tratamento vão ter que ser apreciados pelo Tribunal de Justiça. O problema hoje é que o estado de São Paulo estava com o problema da tornozeleira. Por conta dessa circunstância, a juíza suspendeu a domiciliar. Agora o ministro falou que esse problema do estado não pode afetar alguém que tenha direitos como é ele, que está doente e que não pode ficar no cárcere”, disse o advogado hoje.

Segundo Fraga, Abdelmassih ficará em casa cumprindo o restante da pena, mas sem a tornozeleira. “Ele não consegue perambular sozinho. A tornozeleira, nessa circunstância, não é algo vital”, falou.

Relembre o caso

Condenado a 181 anos de prisão por 48 estupros de 37 de suas pacientes, Abdelmassih estava, desde julho, em regime domiciliar. No início de agosto, após autorização judicial, o ex-médico esteve internado no hospital Albert Einstein, em São Paulo, por conta de uma infecção urinária. A Justiça determinou que, após a internação, ele voltasse ao sistema prisional, mas os advogados de defesa do ex-médico entraram com um habeas corpus para garantir que ele voltasse ao regime domiciliar.

No dia 13 de agosto, os advogados obtiveram a liminar. O Ministério Público, no entanto, pediu reconsideração da liminar e a Turma Julgadora do Tribunal decidiu, no dia 17 de agosto, mandar Abdelmassih novamente para o sistema prisional para o cumprimento da pena. Agora, com a decisão do STF, ele voltará à prisão domiciliar.

Veja também

Senado torna sem efeito decisão do STF de afastar Aécio O Plenário tornou sem efeito nesta terça-feira (17) a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que havia afastado do mandato e determinado o recolhimento noturno do senador Aécio Neves (PSDB-MG). Foram 44 votos contra e 26 a favor das medidas cautelares impostas pela Primei...
STF define que Judiciário tem competência para aplicar medidas cautelares do Código de Processo Pena... Por maioria de votos, plenário do STF definiu que o Poder Judiciário pode impor a parlamentares medidas cautelares do Código Penal. Foto: Divulgação STFDa Redação e AgênciasPor maioria de votos, 10 a 1, o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o Pode...
STF nega liminar para retorno de presos federais a Estados de origem. Narcotraficantes da FDN vão co... O narcotraficante "João Branco" está detido no presídio de Catanduvas desde março do ano passado, uma das primeiras unidades de segurança máxima do Brasil. Foto: ArquivoO ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou pedido de liminar feito pela...
Líderes da facção criminosa FDN, como “João Branco”, “Zé Roberto” e “C... Defensoria Pública da União alega, em habeas corpus, com pedido de liminar, que presos em unidades federais de segurança máxima há mais de dois anos retornem a seus Estados de origem. Isso incluiria líderes da FDN, como o narcotraficante "João Branco", que está em Catanduva...
Depois do Fundeb 2016, Amazonas pode receber mais R$ 200 milhões de 1997 a 2007 O procurador-geral do Estado, Tadeu de Souza, disse que o cálculo dos estados chegou a ser questionado pela Advocacia Geral da União, mas não obteve êxito no STF. Foto: DivulgaçãoO governo federal terá que dispor de, aproximadamente, R$ 50 bilhões em pagamentos devidos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook